Incontinência Fecal- Desafios e soluções.

0

Incontinência Fecal- Desafios e soluções
Fecal incontinence – Challenges and solutions.
Saldana Ruiz N1, Kaiser AM1. World J Gastroenterol. 2017 Jan 7;23(1):11-24. DOI: 10.3748/wjg.v23.i1.11

Neste artigo publicado em janeiro de 2017 na World Journal of Gastroenterology, Saldana Ruiz e Kaiser descrevem de forma objetiva e clara, os principais aspectos da incontinência fecal, seus mecanismos, métodos de avaliação e alternativas de tratamento. Os autores propõem um protocolo de avaliação incluindo itens que devem ser analisados e que constituem um verdadeiro Workup para o médico investigador .
Disponibilizamos a seguir a Tabela adaptada.
Resumo:
A Incontinência fecal não é um diagnóstico, mas um frequente e debilitante sintoma, via comum final resultante de inúmeras causas diferentes. A Incontinência não só afeta a auto-estima e a qualidade de vida do paciente, mas pode resultar em custos e deficiência significante de morbidade secundária. O tratamento é difícil sem qualquer panaceia e uma abordagem individualizada deve ser escolhida que frequentemente combina diferentes modalidades. Várias novas tecnologias foram desenvolvidas e seus papéis específicos terão de ser definidos. O escopo desta revisão é o contorno da avaliação e tratamento dos pacientes com incontinência fecal.
Tabela adaptada
Aspectos importantes na avaliação da incontinência/ Workup Incontinencia
Fonte: Saldana Ruiz N et al WJ Gastroenterol 2017

Historia clinica – Inicio, tipo de incontinência, frequência, história obstétrica, cirurgias anorretais, traumas,doenças associadas, tipo de evacuação, consistência das fezes, ritmo intestinal, alterações urinarias ou ginecológicas, medicações, colecistectomia.
Exame físico – Aspecto do ânus e do corpo perineal presença de dermatites ou assaduras, doenças anorretais, prolapso retal ou mucoso, fistula reto-vaginal
Toque retal: integridade do esfíncter, defeitos,tônus de repouso e contração voluntaria, avaliação do corpo perineal, presença de retocele/invaginação interna; Pinprick reflex;
Toque vaginal: avaliação do corpo perineal e paredes vaginais, descenso ao esforço, cistoceles ou prolapsos. Cirurgia virtual, POP Q
Escalas de avaliação da incontinência:
Clevelanc Clinic Florida Scoring System ;Escala de Qualidade de Vida da ASCRS (FIQL)
Escore de LARS
Exames de fisiologia e imagem
Manometria anorretal/ avaliação da complacência
Ultrassonografia endoanal com ecodefecografia
Ultrassonografia translabial
Eletromiografia e latência dos pudendos
Ressonância Magnética com avaliação dinâmica da defecação