Síndrome de ressecção anterior do reto: um algoritmo de tratamento

0

Martellucci, Jacopo
Low Anterior Resection Syndrome: A Treatment Algorithm
Diseases of the Colon & Rectum . 59(1):79-82, January 2016.
DOI:10.1097/DCR.0000000000000495

O tratamento do câncer do reto vem sofrendo mudanças importantes, e atualmente , graças `a utilização de quimio, radioterapia e novas técnicas cirúrgicas, podemos preservar a função esfincteriana em até 80 % dos casos.
Entretanto, a ressecção do reto e as anastomoses baixas coloanais, são responsáveis por uma serie de alterações funcionais relacionadas com a qualidade de vida destes pacientes. Assim, uma síndrome de ressecção anterior baixa do reto foi descrita em 20121 ( low anterior resection syndrome-LARS syndrome) e consiste dos seguintes sintomas: urgência fecal, episódios de incontinência, aumento da frequência de evacuações, meteorismo e fragmentação das fezes. Embora a preservação esfincteriana evite uma colostomia definitiva, a ocorrência desta síndrome representa um grande prejuízo para a qualidade de vida dos pacientes. Assim, um escore de avaliação desta síndrome foi proposto também em 2012, facilitando a avaliação destes pacientes.2
Acredita-se que a síndrome ocorra devido a lesão dos nervos pélvicos causada pela ressecção e efeitos da radioterapia, além de alterações na motilidade colônica.
Neste artigo, o autor sugere um algoritmo de tratamento da Síndrome de LARS.

Organograma LARS – Motilidade Baixa

REFERENCIAS
1. Bryant CL, Lunniss PJ, Knowles CH, Thaha MA, Chan CL. Anterior resection syndrome. Lancet Oncol. 2012;13:e403–e408
2. Emmertsen KJ, Laurberg S. Low anterior resection syndrome score: development and validation of a symptom-based scoring system for bowel dysfunction after low anterior resection for rectal cancer. Ann Surg. 2012;255:922–928